quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Matéria: Plano para a Vida e a Missão da Igreja Metodista



Plano Para a Vida e a Missão da Igreja Metodista

Uma Breve Reflexão





1 O Plano para a Vida e Missão (PVMI)

1.1 O que é o PVMI?

O Plano para a Vida e Missão é o documento básico para a prática missionária da Igreja Metodista aprovado pelo 13º Concílio Geral realizado em 1982 em prosseguimento aos Planos Quadrienais de 1974 e 1978 e como resultado da Consulta Nacional realizada em 1981 na ocasião do 50º aniversário da Autonomia da Igreja Metodista brasileira.
O Plano para a Vida e Missão da Igreja Metodista procura atender à necessidade de desenvolvimento de um plano de ação que promova a superação da profunda crise de identidade na qual a Igreja Metodista esteve submetida durante o Período de Regime Militar ocorrido entre os anos de 1964 e 1985.
O Plano para a Vida e Missão da Igreja Metodista é o documento que forneceu a base teórica para a produção do atual Plano Nacional Missionário 2012-2016 aprovado pelo 19º Concílio Geral e entregue à Igreja Metodista pelo Colégio Episcopal e pela Coordenação Geral de Ação Missionária em setembro de 2011.

1.2 Para que serve o PVMI?
Com o objetivo de não ser apenas mais um plano de ação elaborado a cada quatro anos, o Plano para a Vida e Missão da Igreja Metodista pretende ser a base norteadora da Missão para toda e qualquer ação da Igreja Metodista no momento histórico em que se insere.
O Plano para a Vida e Missão da Igreja Metodista surge como desafio ao povo metodista para busca da santificação na forma de ações práticas em favor dos outros, objetivando o crescimento na vida de serviço e culto racional com ações concretas de mudança aliada ao permanente processo de revisão da tradição metodista.

1.3 Em que se fundamenta do PVMI?
A construção da base de ações reside na herança wesleyana fundamentada nas Escrituras Sagradas, nas doutrinas fundamentais da fé cristã e nos credos produzidos pelos Concílios da Igreja até o quarto século, buscando a vida cristã comunitária e pessoal em afirmação da realidade e dos valores pertinentes à Ceia do Senhor, à Bíblia, à oração, ao jejum, à participação nos cultos, ao cuidado com os pobres, com os necessitados e marginalizados sociais, testemunhando seu compromisso na busca pela justiça, pela paz e pelo bem-estar do ser humano em sua totalidade e do seu meio ambiente como um todo.
No Plano para a Vida e Missão, o metodismo é afirmado como parte da Igreja de Deus no mundo, onde metodistas são despertados, fortalecidos, desenvolvidos, integrados, à semelhança de um organismo vivo, a uma comunidade de cristãos, não se limitando meramente a ser uma organização, uma instituição ou um grupo social, mas um agente integrado ao meio político, econômico, cultural e social com vistas ao cumprimento de seu chamado ao mundo como forma de testemunho do Evangelho segundo o modelo de Jesus Cristo, buscando a construção e o estabelecimento do Reino de Deus sobre a realidade vigente.

1.4 Quais os desafios do PVMI?
O Plano para a Vida e Missão reconhece que na construção da vida e na realização da obra de Deus as pessoas e comunidades sofrem com o domínio das forças satânicas e do pecado que se manifestam de diferentes maneiras em pessoas, grupos de pessoas e instituições, impedindo a vida abundante e contrariando a vontade de Deus para a Humanidade. 
Mediante a tal perspectiva, o Plano para a Vida e Missão reconhece a necessidade do cristão estar sempre em comunhão com Deus, ouvir e atender a Sua voz, conhecer melhor a Igreja local, descobrir suas possibilidades, dons e ministérios, conhecer melhor o bairro, a cidade, o campo, o país, o continente, o mundo e a maneira como as pessoas vivem e se organizam em seu meio social.
O Plano para a Vida e Missão comunica também a necessidade de se fornecer apoio em todas as iniciativas que preservem e valorizem a vida humana, denunciando as forças e instrumentos que oprimem e destroem. Proclama que a Missão acontece quando a Igreja sai de si mesma, envolve-se na comunidade e se torna instrumento de proclamação do Reino de Deus no mundo, à luz do conhecimento da Palavra de Deus, em confronto com a realidade vigente, assumindo os sofrimentos e expectativas do povo brasileiro.

1.5 Como participar do PVMI?
Deve-se compreender que trabalhar na Missão de Deus não é o mesmo que trabalhar para uma instituição religiosa ou social, mas trabalhar para o Senhor do Reino, num ambiente de opressão, aqui entendido como forças provenientes da realidade do pecado e da morte, operando de forma comunitária através de dons e serviços com o objetivo de promover a vida sobre a afronta proferida pela morte e pelo pecado.
Para tanto, o Plano para Vida e Missão entende ser necessário unir forças com outras pessoas, grupos de pessoas e instituições que também trabalham na promoção da vida e que evidenciam os “atos de piedade” compreendidos como expressão do culto racional e do cultivo da piedade pessoal e comunitária, e as “obras de misericórdia” compreendidas como o trabalho que realiza e completa a pessoa enquanto edifica a nova comunidade segundo a perspectiva do Reino de Deus. 
O Plano para Vida e Missão procura orientar a participação dos cristãos e cristãs na sociedade brasileira de modo a promover condições de relações justas entre empregadores e empregados, permanecendo sempre ao lado dos que são explorados em seu trabalho e dos que têm sido privados do direito a ele, a partir da utilização de ferramentas e métodos adequados, com a participação plena da Igreja, homens e mulheres, nos diferentes níveis de decisão.

1.6 Qual a importância do PVMI para o cristianismo?
No Plano para a Vida e Missão a doutrina do sacerdócio universal de todos os crentes reconhece todo o povo de Deus como ministros chamados a desempenhar os ministérios pelos quais Deus realiza Seu propósito redentor. O chamado “sistema conexional” garante a interação entre as diversas Igrejas e regiões em que atua o metodismo brasileiro, buscando assegurar e preservar o testemunho bíblico da unidade cristã. Tal conexidade poderá ser estendida a outras denominações, observadas as prioridades e ênfases do Reino de Deus.
No Plano para a Vida e Missão os problemas sociais são apresentados como forças destruidoras que precisam ser denunciadas e vencidas em favor do bem estar dos atores sociais neles envolvidos, interagindo nas causas sociais, políticas, econômicas e morais que causam miséria, opressão e exclusão dos seres humanos. O Evangelho de Jesus Cristo é apresentado como forma de libertação da pobreza, exploração do trabalho e toda a forma de injustiça, discriminação e preconceito, que deve ser base comum de ação em todas as denominações cristãs.
Nesta perspectiva, o Plano para a Vida e Missão representa um desafio não apenas ao metodismo brasileiro, mas a todas as formas de expressão do cristianismo bíblico, seja em terras brasileiras ou em qualquer parte do mundo onde a Palavra de Deus é anunciada e onde o nome de Jesus Cristo é glorificado, segundo o Seu Evangelho.

1.7 O que podemos concluir a partir da reflexão sobre o PVMI?

Conclui-se esta reflexão, afirmando que o Plano para Vida e Missão acontece sempre quando uma pessoa, grupo de pessoas, Igrejas ou instituições operam de acordo com a Palavra de Deus e honram o Seu nome, investindo na busca diligente pela promoção da vida, pela humanização do trabalho, pelo direito a terra, à habitação, à alimentação, à saúde, à educação, à participação política, à expressão cultural e artística, às ações de preservação do meio ambiente, à proteção da família, à justiça aos excluídos, à vida social e comunitária e ao lazer, considerando a necessidade de comunhão e reconciliação com Deus e com o próximo na perspectiva do Evangelho de Jesus Cristo.



Veja Também:
O Futuro que Nós Queremos: http://www.youtube.com/watch?v=_DjmI13121U

Participe deste Projeto!

Ajude a Construir o Futuro que Nós Queremos!